Categoria - Criminologia

Criminologia, Política Criminal, Segurança Pública, Sociologia e Direito.

1
Tá na hora da Segurança
2
Os anúncios de apreensão de drogas
3
Mais Homicídios
4
Aborto
5
Política de drogas
6
Polícias
7
Muitos homicídios
8
Mais de Lampedusa
9
Lampedusa
10
Maioridade Penal
11
Consumo de marijuana
12
O esporte 'legaliza' o baseado
13
Os verdadeiros líderes do sistema penitenciário gaúcho

Tá na hora da Segurança

Mesmo longe do Rio Grande e do Brasil, eu tenho acompanhado atentamente os debates sobre as eleições desse ano.

Uma pena que um dos principais temas, que é o da segurança pública não esteja sendo tratado.

Soa absurdo que todos os candidatos, sejam governistas ou de oposição, tenham na ponta da língua dados de PIB, juros, metas de inflação e variação do dólar, e por outro lado deixem de enfrentar os números da criminalidade.

Em 2013 foram mais 50 mil homicídios em todo o país. Isso equivale a quase 15% dos homicídios do mundo.

Pior de tudo é que a grande maioria desses homicídios não é solucionado pela nossa polícia.

A consequência disso é trágica. O clima de impunidade se multiplica.

Se matar alguém no Brasil tem uma grande chance de não dar em nada, o que sobra para outros crimes como roubos, assaltos, sequestros…

Não há dúvidas que nos últimos 20 anos houve um grande avanço na economia, na educação e até na saúde.

Tá na hora da segurança pública verdadeiramente entrar na agenda política do Brasil.

Os anúncios de apreensão de drogas

A cada dia que passa a atual política de drogas gera mais vítimas.

O número de usuários cresce, na mesma medida em que o crime organizado ganha forças e o sistema repressivo se mostra ineficiente.

Mas o pior de tudo isso é quando a polícia, ao invés de atrapalhar, facilita a vida do traficante.

No afã de dar uma resposta para a sociedade, a polícia se equivoca. Na falta de evidências de que esteja fazendo um bom trabalho, quer mostrar eficiência vindo para a mídia e apresentando números.

Números de apreensões de drogas.

E o que nao faltam sao policiais para posarem ao lado da droga apreendida para aparecer no jornal.

Esquecem que existe a lei da oferta e da procura. A cada apreensão anunciada, diminui a oferta de droga no mercado, mas a demanda continua a mesma. Resultado: aumenta o preço da droga e a lucratividade dos traficantes.

Anunciar a quantidade de droga apreendida nao traz nenhum beneficio para a sociedade.

Tá mais do que na hora da polícia brasileira repensar nessa estratégia de comunicação, deixando de servir de indexador.

Agentes do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc)

Agentes do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc)

 

Mais Homicídios

 

Comentário originalmente veiculado na Rádio Antena 1, de segunda a sexta às 7h15 da manhã.

93,5 MhZ

Santa Maria – RS

Aborto

 

Seja uma lei mais conservadora que a outra, o importante a destacar é que na Espanha, o aborto é tratado como política pública de saúde, diferente que no Brasil, onde ainda é tratado pelo direito penal.

É um tema delicado, deve ser tratado como tal, sem moralismos.

Mais sobre as alterações propostas pelo governo Espanhol ao Congresso,  reportagem completa.

ley do aborto

Polícias

Comentário originalmente veiculado na Rádio Antena 1, de segunda a sexta às 7h15 da manhã.

93,5 MhZ

Santa Maria – RS

Mais de Lampedusa

Comentário originalmente veiculado na Rádio Antena 1, de segunda a sexta às 7h15 da manhã.

93,5 MhZ

Santa Maria – RS

Maioridade Penal

Comentário originalmente veiculado na Rádio Antena 1, de segunda a sexta às 7h15 da manhã.

93,5 MhZ

Santa Maria – RS

Consumo de marijuana

 

Comentário originalmente veiculado na rádio Antena 1, de segunda a sexta às 7h15 da manhã.

O esporte 'legaliza' o baseado

El deporte ‘legaliza’ el porro. Este é o título da reportagem do jornal El País que traz a notícia de que a Associação Mundial Antidopagem – AMA – elevou em 10 vezes os níveis permitidos de tetrahidrocannabinol (princípio ativo da planta Cannabis sativa, da qual derivam marijuana e haxixe), elevando o limite de 15 nanogramos por mililitro de urina para 150 nanogramos por mililitro.

No mesmo dia o portal UOL publicou reportagem anunciando que o líder da ‘Igreja da Maconha’ fora condenado a 14 anos de prisão no interior de São Paulo.

A atual política mundial de drogas já se mostrou ineficiente, e além disso, maléfica para as sociedades. A criminalização do uso de drogas leves é ineficaz, e quanto mais aperta o cerco, mais aumentam o consumo e o lucro dos produtores e traficantes.

A polícia do Brasil serve como indexador. Dotadas de poucos recursos para inteligência, não raramente se vangloria de apreensões e divulga as quantidades apreendidas como se isto fosse resolver o problema.

A cada apreensão o resultado prático é o mesmo, diminui a oferta e a procura continua a mesma, logo, os preços são ‘indexados’.

Qual o sentido de divulgar apreensões? Qual o sentido de criminalizar drogas quando a criminalização faz mais mal a sociedade que a sua regulamentação ou mesmo liberação?

Não entendo.

 

 

Os verdadeiros líderes do sistema penitenciário gaúcho

O jornal Zero Hora traz uma excelente reportagem sobre detalhes da prisão da operação Concutare da Polícia Federal.

Políticos de diversos partidos, de situação e oposição, de governos atuais e anteriores, além de servidores públicos e empresários. Um total de 18 presos.

Como em um filme, alguns são mais fortes e ao natural conquistam e exercem a liderança.

A reportagem, que traz no enredo detalhes da prisão, faz menção ao líder dos presos com condenação por homicídio e sua relação com os recém chegados presos acusados de um esquema na concessão de propinas, uns mais fracos e outros mais fortes.

A prisão é foda.

Político nato, Zachia diz abandonar e política e se lamenta ter feito muito menos do que podia para o sistema prisional.

 

 

 

Ricardo Lovatto Blattes ©2016 - Desenvolvido por Opa Web