Categoria - des-rotulado

Mania de categorizar e ordenar tudo.
Sem rótulos ou rotulações.

1
Clandestino
2
WAR
3
Patrulha digital
4
O crime compensa?
5
Felipão
6
Ranking de Universidades
7
Santander
8
Há que diferenciar o povo judeu do Estado de Israel
9
Os canalhas contra os imigrantes
10
Bibliotecas públicas
11
Bicing
12
Cover do Avicii
13
Adiós Don Alfredo

WAR

Quando conheci WAR, o jogo de tabuleiro, era uma confusão para jogar.  Um jogo demorado, com um monte de dados, um monte de peças e um tabuleiro nem sempre estável. E ainda assim, gostei.

Eis que há uns 10 anos atrás, conheci WARonline. A mesma dinâmica do jogo de tabuleiro, com a vantagem de que não há peças, cartas nem dados para se atrapalhar, e a demora pode ser prevista. Segue a estratégia e a indignação com o resultado dos dados.

Já tive mais jogos, hoje em dia mantenho apenas dois simultâneos.

Captura de Tela 2016-08-26 às 01.56.03

Esse jogo aí começou há mais de dois meses, com a média de uma jogada por dia. Éramos cinco, agora somos quatro que seguem vivos na 63ª. Há algumas semanas, vendo que isso iria longe, tenho me prestado a dar uma contada nos exércitos e acompanhar a evolução.

Eu sou o Azul e comecei a monitorar quando o jogo estava na mão do Amarelo, que estava com a totalidade das Américas do Sul e Norte, entrando com força em Islândia e Vladvostok enquanto o Branco estava com a África, eu com Oceania e Preto e Vermelho com o que restava de Europa e Ásia.

Naquele momento o meu objetivo era sobreviver ao Amarelo, e por isso algumas alianças eram necessárias. Ora com o Preto, ora com o Vermelho e ora com o Branco. O Amarelinho amarelão não aguentou, ficou brabo e desistiu. Mais uma vez a vantagem do WARonline, impede que meninos mimados façam beiço e desarrumem todo o tabuleiro.

Mas o cara foi embora, apertou no botãozinho do desistir e do foda-se, deixando um monte de exércitos sobre o mapa.

Eu tenho convicção de que em jogos, nem sempre a lógica prevalece, e daí a graça. Mas um pouco de acompanhamento matemático não poderia atrapalhar.

Enfim, cheguei vivo e com ao redor de 30% dos 1500 exércitos desta 63ª rodada, e ainda acho que vai longe. Em proporções, tenho mais ou menos o mesmo tamanho que tinha quando o Amarelo amarelão estava vivo.

Quem será o próximo a morrer? Ou será que alguém pode matar o jogo com os três vivos?

Acho que vai longe.

Captura de Tela 2016-08-26 às 02.32.17

 

 

 

Patrulha digital

Durante todo o final de semana, e até mesmo nessa segunda-feira, a imprensa brasileira repercutiu exaustivamente todos os desdobramentos da morte de Eduardo Campos.

Além da natural cobertura sobre as investigações sobre o acidente aéreo, e também das articulações em torno da sua substituição na corrida presidencial, chama a atenção o destaque dado para a fofocas em torno do velório, que no final das contas acabou se transformando em um grande ato político.

Militantes e militontos de todos os partidos passaram a interpretar fotos, em especial algumas em que Marina Silva está sorrindo, sugerindo desrespeito.

Ora! E desde quando sorrir em velório é um desrespeito com o defunto ou com a família. Que atire a primeira pedra aquele que, mesmo perdendo um parente próximo, por algum momento não deixou escapar um sorriso.

Ocorre que hoje em dia, com essa quantidade de máquinas digitais, fica fácil tirar uma foto e dar a ela o contexto desejado.

Seja em velório, seja em qualquer cerimônia, as pessoas ficam sérias, sorriem, bocejam… enfim, têm expressão facial.

Desrespeito não é sorrir em velório, mas fotografar sorrateiramente um sorriso, criar uma legenda de impacto pra lançar a polêmica.

O moralismo e a incessante patrulha digital cansam.

O crime compensa?

Em novembro de 2013, em uma fazenda em Afonso Cláudio (ES) a Polícia Federal apreendeu 445 de cocaína em um helicóptero de propriedade da família do Senador Zezé Perrella (PDT-MG) e seu filho Deputado Estadual Gustavo Perrella (Solidariedade-MG).

Um dos pilotos era assessor da Assembléia Legislativa de Minas Gerais, lotado no gabinete do Deputado Gustavo Perrella.

Estranhamente, o inquérito foi encerrado em menos de 6 meses e todas as pessoas presas em flagrante foram inocentadas.

Drogas, crime organizado, financiamento de campanhas…  há muita coisa em aberto.

Coincidentemente, o Senador Zezé Perrella e seu filho Deputado Gustavo Perrella são apoiadores incondicionais de Aécio Neves (PSDB), aquele que construiu um aeroporto na fazenda do seu tio no Município de Cláudio (MG).

Ah… a distância de Cláudio (MG) e da fazenda em Afonso Cláudio (MG) eu não sei, mas vale averiguar.

 

Vale muito a pena dar uma olhada nesse excelente documentário do DCM, com reportagem do jornalista Joaquim de Carvalho.

 

Felipão

Ser gremista por esses tempos naoo tem sido uma das coisas mais fáceis. 13 anos sem ganhar um título fora do Rio Grande do Sul deixa qualquer torcedor impaciente.

Com esse fuso horário de 5 horas, já perdi as contas das vezes que fiquei acordado até alta madrugada para acompanhar os seguidos fracassos e desilusões que o tricolor tem proporcionado.

Pois essa ida do Felipão pro comando do Grêmio reascende a esperança.

Talvez se a seleção brasileira não tivesse tomado aquele bangornasso de 7a 1, Felipão provavelmente não cogitaria a hipótese de assumir o Grêmio.

Por incrível que pareça, a estas alturas do campeonato, hoje Felipão precisa mais do Grêmio do que o Grêmio de Felipão.

Eu me prestei a assistir os quase 50 minutos da coletiva de apresentação e isso ficou claro. Felipão assume em busca de carinho.

Gostei de ver. O velho e humilde Felipão está de volta. Aquela postura arrogante da Copa do Mundo já é coisa do passado. Os 7 a 1 fez efeito.

Aqui na Espanha foi a primeira vez que eu vi o nome do Grêmio nos noticiários.

Graças a Felipão.

Que outras manchetes venham!

 

 

 

Ranking de Universidades

Essa semana saiu um mais ranking das 1000 melhores das Universidades do mundo, e o Brasil teve 18 de suas instituições apontadas, entre elas a Universidade Federal de Santa Maria.

A melhor colocada entre as Brasileiras é a USP, Universidade de São Paulo, que no ranking geral ficou em centésimo trigésimo primeiro lugar, bem longe da segunda colocada, que foi a Federal do Rio de Janeiro, na posição 329..

Do Rio Grande do Sul, apenas a UFRGS na posição 585 e a nossa UFSM na posição 919.

A UB, Universidade de Barcelona, que é onde eu estou fazendo o meu mestrado em Criminologia, ficou em primeiro lugar entre as 41 Universidades Espanholas ranqueadas.

No ranking geral ficou em centésimo vigésimo lugar, onze posições na frente da USP, a primeira do Brasil.

Daqui de Barcelona também figuram outras três instituições, a Universidade Pompeu Fabra,  a UAB, a Universidade Aberta de Barcelona e a Politécnica da Catalunha.

Rankings sao rankings, e devem ser tomados com cuidados.

Mas uma coisa fica clara, todas as Universidades Brasileiras são públicas, resultado dos investimentos na Educação Superior dos últimos 10 anos.

Santa Maria sempre ganha com isso!

Uma ótima quinta pra todos e eu volto amanha.

Santander

E o que se pode falar desse papelão feito pelo Banco Santander, que há poucos dias enviou uma cartinha para os seus mais importantes correntistas para alertar de eventual risco nos investimentos caso o a Presidenta Dilma Rousseff fosse reeleita.

Quer dizer que esses bancos estrangeiros, além de lucrar com o dinheiro do Brasil querem especular com as eleições do país!

Logo o Banco Santander, um banco espanhol, e chegou ao Brasil durante o período das grandes privatizações.

Para quem não lembra, o Santander comprou entre outros bancos, o Banco Meridional, que era o sucessor dos antigo Bancos Sulbrasileiro e Banco da Província. Todos bancos públicos!

O Presidente do Santander minimiza, e coloca a culpa em um analista, que já foi demitido.

Não é pra menos, hoje mais de 30% do lucro do Santander vem das operações no mercado Brasileiro.

Eu fico imaginando se esse comunicado fosse de um Banco Público. Será que a oposição ficaria calada? Será que iriam ficar satisfeitos com a queda de um analista?

São muitos pesos e muitas medidas.

Há que diferenciar o povo judeu do Estado de Israel

Esse massacre de Palestinos na Faixa de Gaza pelo inescrupuloso exército de Israel têm aberto alguns debates interessantes, mas outros um tanto quanto insensatos e tendenciosos.

Tanto aqui na Espanha como aí no Brasil, há um montão de gente que se equivoca em colocar a culpa nos judeus por esse genocídio.

Eu entendo que o caminho nao é por aí.

Desde que foi criado ao final da segunda guerra, Israel é um estado que mata. Terrorismo em série.

Sozinho, já desobedeceu mais resoluções das Nações Unidas que a soma de todos os demais países.

Mas é importante não confundir o repúdio a Israel com questões de ordem religiosa. Não se trata de ser contra judeus, mas contra o Estado de Israel. É completamente diferente.

A questão religiosa que está entranhada não deve ser evocada.

Eu repudio o racismo em todas as suas formas, e como tal repudio também o racismo contra judeus.

As ações de Israel não são ações do povo judeu, que como tal deve ser respeitado.

Ser contra Israel não significa ser contra os judeus, muito embora o governo de Israel tente fazer crer que esta é uma ‘guerra santa’. Não é.

israel-palestina

Os canalhas contra os imigrantes

É deplorável a forma como os setores mais conservadores e reacionários tem se manifestado contrariamente à postura do governo brasileiro na questão das imigrações de haitianos e ganenses.

O que mais me impressiona, é que antigamente parece que as pessoas tinham um certo recato de dizerem barbaridades. Havia um certo pudor em expor publicamente os preconceitos.

Pois parece que a coisa mudou.

Tá de parabéns o governo Brasileiro em acolher esses homens e mulheres, que diante do caos que vivem os seus países, escolheram o Brasil como suas novas casas.

Eu sou um imigrante. Aqui na Espanha eu sinto na pele o preconceito que o continente europeu tem com africanos, latino-americanos e asiáticos.

É uma luta constante.

Ser contra a imigração é ser contra pessoas.

Nao existe miserável de Gana ou miserável do Haiti.

Ser contra ganeses a haitianos por sua baixa qualificação, por sua cor, por suas opções religiosas… é uma tremenda canalhice.

Dizer que não precisamos de mais pobres, é a maior das pobrezas. A pobreza de espírito.

Viva a nossa diversidade!

 

Nesse vídeo, o colunista gaúcho Políbio Braga se insurge contra os imigrantes por sua cor, sua religião e pelo fato de serem pobres. Absurdo.

 

Bibliotecas públicas

Embora tenha sempre gostado muito de ler, eu nunca fui um frequentador de bibliotecas, até mesmo porque onde eu vivi nunca tive boas bibliotecas perto de casa. Na verdade, nem boas nem más.

Em Santa Maria, salvo engano, há apenas uma biblioteca pública, as demais sao de colégios ou instituições de ensino.

Pois aqui em Barcelona tem sido diferente. De forma periódica eu costumo ir a biblioteca pública que tem aqui pertinho da minha casa, a biblioteca Josep Janes.

josep 2

O primeiro que eu tenho que destacar é o ambiente, climatizado e super aconchegante, convidadativo para uma boa leitura.

Além de uma porção de livros de diversos gêneros, há também uma infinidade de CDS, DVDs com filmes e séries para empréstimo.

Outra coisa boa é que lá eu também tenho acesso a todos os jornais e revistas. E o melhor de tudo, sem pagar um tostão. Basta fazer o cadastro.

josep

Pra quem quiser, também há computadores a disposição, ou wifi liberada

As bibliotecas aqui da Catalunha, além do acervo e do espaço de estudo também oferecem uma ampla programação cultural, com colóquios, peças de teatro, clubes de leitura e até aulas de idiomas.

Tá mais do que na hora das nossas lideranças alertarem para esse tipo de investimento.

Bicing

Barcelona foi uma das cidades pioneiras em abraçar a idéia de transformar a bicicleta em transporte público.

Eu mesmo sou um usuário desse sistema, que é simples, prático e barato. Por ano eu pago 46 euros, algo em torno de 150 reais, para ter acesso ilimitado ao uso das bicicletas públicas, que estão espalhadas por mais de 400 estações por toda Barcelona.

Basta ir em uma estação, passar o cartãozinho, e a partir daí tenho 30 minutos para entregar em outra estação. Querendo andar mais, tem que aguardar 10 minutos.

A cidade está adaptada com cliclovias ou largas caçadas, o que facilita a vida dos ciclistas.

E a partir do ano que vem  além das tradicionais bicicletas de pedal, também vao estar a disposição dos usuários bicicletas elétricas. A idéia é conquistar, ou mesmo reconquistar aqueles usuários que já não se dispõe ao esforço físico, com a diferença de que as bicicletas elétricas terão um sistema que vai limitar a velocidade em 25 km/hora.

 

 

 

Adiós Don Alfredo

Em meio às semi-finais da Copa do Mundo, a morte de Don Alfredo Di Stefano tomou conta do noticiário esportivo espanhol.

Com a Espanha fora da Copa desde a primeira fase, as homenagens ao maior ídolo do Real Madri fizeram com que as notícias esportivas voltassem às primeiras páginas de todos os jornais.. Na TV, diversas emissoras disputam a audiência com programas especiais sobre este ícone do futebol.

Nascido na Argentina, Di Stefano foi ídolo no futebol colombiano antes de chegar na Espanha e brilhar no Real Madri, onde ganhou tudo.

O craque jogou dos anos 40 até o início dos 60, e curiosamente jamais participou de um jogo de copa do mundo. Em 1962, chegou a ser convocado pela seleção espanhola para jogar o mundial do Chile, mas nao chegou a disputar nem sequer um minuto.

Como amante do futebol, sempre ouvi falar de Di Stefano, mas nao tinha a dimensão do que ele representa para o madrilismo. Por esses dias, a comoção é geral, milhares de pessoas lotam o estádio Santiago Bernabeu para o último adeus.

Um ícone incontestável, de quem ainda vamos ouvir falar por muito tempo.

Ricardo Lovatto Blattes ©2016 - Desenvolvido por Opa Web